por Otto Cerqueira 2 comentários




Batman é o tipo de herói que todo mundo gosta. É um personagem tão icônico que, por definição, deveria ser o símbolo da DC (Detective Comics), a mais famosa linha de HQs.

O detetive de mais de 70 anos passou por infindáveis histórias em comics, spin-offs, filmes, séries, desenhos, enfim, em tudo que tiver direito. O seu último filme, Dark Knight (que via de regra trouxe o melhor Coringa da história do cinema), foi um impulso para a criação de mais um jogo, mas que estranha e sabiamente, não é sobre o filme.

Arkham Asylum segue uma aventura independente e bem simples: Coringa é mais uma vez detido por Batman e levado ao asilo Arkham para criminosos insanos. Nessa mesma noite, diversos criminosos haviam sidos transferidos temporariamente para lá devido a um fogo que ameaçou a prisão Blackgate.

Ao chegar em Arkham, Batman desconfia da pouca relutância do Palhaço do Crime e decide segui-lo até sua cela. Ele estava certo, Coringa tinha uma carta na manga e consegue escapar do manicômio com a ajuda de Arlequina, que estava secretamente controlando a segurança. Assim se inicia um plano onde Coringa usará dos criminosos e dos insanos para dominar o local. Se qualquer um entrar em Arkham, uma série de bombas explodirão sobre Gotham City.

A história pode até parecer sem graça, mas ela é muito eficaz no contexto do jogo. Ela foi escrita por Paul Dini, um escritor de longa data do morcego, e, se fosse citar toda a sua participação para a DC, teria de acrescentar mais umas três linhas a esse texto.

Não obstante, marcam presença no jogo os dubladores oficiais de Batman: Animated Series. A rica qualidade dos diálogos unidos a boa interpretação dos atores de voz marcam uma experiência única.

Além disso, é necessário citar a boa caracterização de personagens. Batman veste um de seus uniformes mais clássicos unidos a detalhes militares, semelhantes aos do filme. O Coringa ficou cartoonicamente magro, com o sorriso rasgado de Heath Ledger e a loucura de Jack Nicholson em O Iluminado. A Arlequina foi bastante mudada, ressaltando sua sensualidade, mas ainda assim não fugindo de seu estilo. Não só eles como todos os personagens estão devidamente apresentáveis.

Entre os vilões do jogo temos Crocodilo, Zsasz , Bane, Espantalho, Hera Venenosa, Pinguim e o Charada. Para ajudá-lo você terá o apoio policial do Comissário Gordon e as dicas da Oráculo. Para quem não conhece, a Oráculo é filha de Gordon e ex-Batgirl, que graças ao Coringa ficou paraplégica, e que mesmo assim continua sua luta por justiça como informante para super-heróis.

Quanto ao gameplay pode-se dizer que optaram pelo melhor dos dois lados do morcego. Batman luta com maestria contra múltiplos inimigos. Os combos se fazem apenas com um botão para atacar e outro para contra-atacar, e diferente do que possa parecer, é bem divertido. Os golpes se encaixam muito bem ao Batman, que faz uma digna (mas não grande) variação de ataques nos momentos certos.

O outro lado do morcego é o furtivo, afinal de contas, ele ainda é um detetive. De acordo com as informações da Oráculo você investigará pistas, seja por análise química (como teores alcoólicos e tabaco) ou documentos, e os seguirá até seu ponto de origem. Para exploração de cenário você conta com gadgets como o batgel, um gel explosivo para arrombamento de paredes e pontos frágeis; mas também há gadgets para ataques como os batrang, o “boomerang” do Batman.

O mais adequado é derrotar os inimigos silenciosamente para adquirir pontos de experiência extra e fazer upgrades como ataques e habilidades novas. Para auxiliar nos pontos de experiência há diversos segredos em cada canto do jogo. Eles são conteúdos exclusivos como gravações dos internados de Arkham, biografias, e mistérios. Há tantos que na verdade o jogo é completado aos 50%, o restante fica para os bônus.

Toda a ambientação gótica, extremamente detalhada e a qualidade gráfica são de cair o queixo. A experiência fica ainda melhor com a opção Physis ativada, que traz mais física e destruição para o jogo.

Graças a elementos como esses, Batman: Arkham Asylum vem sendo aclamado em revistas especializadas como o melhor game baseado em um herói de todos os tempos, e é um dos concorrentes a melhor jogo de 2009. Não é difícil entender por quê. A arte é soberba, o gameplay divertido, e idealiza cada aspecto positivo presente nos quadrinhos. Em suma, um jogo fenomenal.

Screenshots





Trailer



2 Responses so far.

  1. Anonymous says:

    e o arquivo pra download??

  2. Otto says:

    Hmm... Eu não estava mais colocando games para download, mas você não é o primeiro a pedir isso numa análise. Acho que colocarei os games para download após a análise a partir de agora.

    Enfim, logo atendo seu pedido.

Deixe um comentário

- Utilize esse espaço para comentar e fazer pedidos.
- Não serão aceitas propagandas ou ofensas.
- Nós não fazemos upload dos jogos, apenas indicamos onde ele se encontra.
- Responderemos seu comentário na medida do possível.
- Nenhum homem é uma ilha. Seu comentário nos motiva a continuar, portanto, não seja tímido.